Qual a diferença entre educação especial e educação inclusiva?

Quando falamos em educação especial e inclusiva, parece que se trata de uma coisa única, não é mesmo? Mas você sabia que, embora caminhem juntos, são dois conceitos diferentes?

Se a sua resposta foi “não”, você veio ao lugar certo. Aqui você vai entender o que trata cada termo e como juntos eles garantem o acesso a educação de todas as crianças em idade escolar.

O que é educação especial?

Para começar, vamos te explicar do que se trata a educação especial.

A educação especial utiliza de ferramentas didáticas e pedagógicas específicas para atender as limitações da criança com necessidades especiais, sejam elas físicas ou cognitivas.  Ela não possui um papel integrados do aluno com a sociedade, sendo aplicada fora do ambiente da educação regular, em escolas ou centros especializados no atendimento dessas crianças.

O que é educação inclusiva?

A Educação Inclusiva é um sistema educacional misto, onde se alia a educação regular com a educação especial. Nesse contexto, os alunos com necessidades especiais são integrados aos demais alunos, no ambiente escolar comum. Ou seja, aluno com e sem necessidades especiais frequentam o mesmo ambiente escolar.

O que a lei estabelece sobre a educação inclusiva?

A Educação inclusiva no Brasil é assegurada pela Lei de Diretrizes e Bases Nacionais da Educação (9.394/96), de 1996, que afirma que todas as crianças com necessidades especiais, o direito constitucional de educação pública e gratuita.  Segundo o MEC, qualquer escola, seja ela pública ou particular, que negar matrícula a um aluno com deficiência comete crime punível com reclusão de 1 a 4 anos (Art. 8º da Lei nº 7.853/89).

Para receber esses alunos a escola não precisa obter nenhuma licença da Secretaria da Educação, porém, ela precisa estar preparada. Além de professores capacitados e treinados para lidar com as limitações das crianças, é necessário adaptações na estrutura física.

A escola também precisa dispor de tecnologias que permitam a integração dos alunos com necessidades especiais e o apoio de um grupo de profissionais que possam proporcionar um processo educacional de formação integral, como educadores físicos, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e psicopedagogos.

As adequações estruturais, de materiais e treinamento da equipe estão previstos no Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011.

Qual a diferença entre educação Especial e Inclusiva?

Em resumo, a educação inclusiva é um sistema educacional misto, onde se alia a educação regular com a educação especial. Nesse contexto, os alunos com necessidades especiais são integrados aos demais alunos, no ambiente escolar comum.

Já a educação especial tem atendimento específico para as crianças com necessidades especiais, e são aplicadas fora do ambiente da educação regular.

Quais escolas devem receber os alunos com necessidades especiais?

Sabendo da principal diferença entre a educação especial e inclusiva, é necessário entender se qualquer escola de ensino regular pode ou deve receber alunos com necessidades especiais.

Como já dissemos, a educação é um direito garantido a todas as pessoas no território brasileiro. Sendo assim, a Lei de Diretrizes e Bases Nacionais da Educação (9.394/96), de 1996, assegura a todas as crianças com necessidades especiais, o direito a educação pública e gratuita.

É importante ressaltar que segundo o MEC, qualquer escola, seja ela pública ou particular, que negar realizar a matrícula de um aluno com deficiência comete crime punível com reclusão de 1 a 4 anos (Art. 8º da Lei nº 7.853/89).

Para receber esses alunos a escola não precisa obter nenhuma licença especial da Secretaria da Educação, porém, ela precisa estar preparada. Para isso, é necessário que ela tenha professores capacitados e treinados para lidar com as limitações das crianças e faça adaptações na estrutura física.

Então, para atender esses alunos, é preciso que o professor tenha uma pós em educação especial e inclusiva . Mas, não é só isso, também é preciso dispor de um grupo de profissionais, como educadores físicos, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e psicopedagogos.

Como é o curso de Pós-Graduação em Educação Especial e Inclusiva?

Com o curso de Pós graduação em educação especial e inclusiva você vai estar apto para atuar com alunos com necessidades especiais em escolas do ensino regular e em instituições de ensino especializado.

Como esse curso é voltado a profissionais da educação, a nossa dica é que você busque por uma pós graduação a distância em educação especial e inclusiva. Dessa forma, pode aliar os estudos com a sua rotina de trabalho.

A pós graduação ead em educação especial e inclusiva é composta por 600 horas de duração. Nesse tempo, o aluno vai ter acesso a conteúdos que vão ajuda-lo a desenvolver um trabalho de qualidade e garantir a melhor educação ao aluno com necessidades especiais.

O curso pode ser feito em 6, 9 ou 15 meses de duração. Porém, independente da duração escolhida, você irá ter acesso as seguintes disciplinas:

  • Formação Docente para a Diversidade
  • Novos Caminhos para Profissionais da Educação
  • Diversidade na Aprendizagem de Pessoas com Necessidades Especiais
  • Deficiência Intelectual, Física E Psicomotora
  • Deficiência Visual, Auditiva e Surdocegueira
  • Transtornos Globais de Desenvolvimento (TGD) e Altas Habilidades
  • Fundamentos da Educação Especial
  • Metodologia do Ensino da Educação Especial
  • Tecnologia Assistiva
  • Comunicação Alternativa

Também é importante destacar que o profissional que se forma nesse curso, não atua apenas dentro das escolas e centros especializados. O profissional também pode atuar em centros de pesquisas, onde irá desenvolver pesquisas que analisam dificuldades, desafios e limitações dos alunos. Além disso, existem oportunidades em hospitais, centros comunitários ou clínicas de reabilitação. Portanto, podemos dizer que esse profissional irá encontrar diversas oportunidades no mercado de trabalho para desenvolver o seu trabalho.

Por fim, agora que você já sabe tudo sobre a Educação Especial e Inclusiva, sobre o curso e as leis que regem o trabalho das escolas e professores, já pode iniciar a sua pós graduação em educação especial e inclusiva ead e se especializar nessa área que é tão fundamental para o desenvolvimento e qualidade da educação ofertada aos alunos.

Caso você se interesse pelo tema, não deixe de conhecer a segunda licenciatura em educação especial à distância!

Equipe de redação do Radio Educadora 1120

Cada membro da nossa equipe traz consigo uma rica bagagem de experiências e habilidades únicas, formando um coletivo harmonioso que busca incessantemente a excelência na produção de conteúdo. Nossa missão é ir além das expectativas, proporcionando aos nossos leitores uma experiência enriquecedora e memorável.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

5 × um =